sequencia-2_moedaMussolini_FINALIZADO_120_2dpi
Links:
1 – Sobre a real inflação Brasileira
–  Sobre a real inflação Brasileira, link 2

2 – Sobre a violência no Brasil

3 – Sobre a real taxa de desemprego
– Sobre a real taxa de desemprego, link 2

4 – Sobre a Venezuela

5 – Sobre a Bolívia


AVISO AOS NAVEGANTES: 

O TERMO “ESQUERDA” USADO NO POST SE REFERE SEMPRE A ESQUERDA REAL, OU SEJA, AOS PARTIDOS QUE SE AUTO INTITULAM DE ESQUERDA E QUE HOJE GOVERNAM A MAIORIA DOS PAÍSES DA AMERICA-LATINA, ENTRE ELES VENEZUELA, BOLÍVIA, URUGUAI E BRASIL. NÃO PRETENDO ANALISAR AS DIFERENTES NOÇÕES DE ESQUERDA, BEM COMO SUAS DIFERENTES FILOSOFIAS OU PRÁTICAS, TÃO POUCO QUESTIONAR O SENTIDO SUBJETIVO (E UM TANTO PESSOAL) DE ESQUERDA ENQUANTO “ANSEIO” OU PREOCUPAÇÃO POR UMA SOCIEDADE MAIS JUSTA E MENOS DESIGUAL.

Não acredito que haja qualquer ligação entre a moeda corrente na Itália em 1939 e a nossa atual moeda de 1 real além de uma coincidência do destino, este, por sua vez, não nos deixa de sorrir em sua implacável ironia.

Abertura política, vitória da democracia, civis novamente aprumando o mastro que conduziria a nação. Estes eram os ares que nos inflavam na década de 1980, soprados pelos políticos do PMDB e pela Frente Liberal. O Regime Militar dava seus sinais clínicos de falência, a população clamava por eleições diretas, o país pedia por uma nova Constituição.

O destino não poderia se desdobrar de forma mais curiosa..

O partido que hoje ocupa o Executivo, o Partido dos Trabalhadores, também teve sua origem no bojo político e intelectual à época, da qual nascera a vasta maioria dos partidos que despontam no cenário atual do país. Os mesmos indivíduos que hoje, papudos, orgulham-se do alto de suas narinas bolcheviques de terem pegado em armas contra o Regime Militar tido como de “extrema direita” são também os protagonistas dos mais sérios escândalos de corrupção da Nova República. Dizer simplesmente que estes indivíduos, hoje condenados e julgados pelo STF “viraram de direita”, como se acometidos de uma doença repentina, me parece um tanto simplório demais. Dizer que o PT já foi um partido de esquerda, porém fora “corrompido” pelo poder também me parece uma visão rasa das últimas décadas..

Em 31 de março próximo o Golpe Militar de 1964 terá completado 50 anos. A versão oficial ecoada desde a redemocratização de 88 descreve um governo progressista e popular de João Goulart sendo sequestrado por “forças conservadoras” composta pelos militares e pela classe média. Os mesmos professores de História que alardeiam essa versão dos acontecimentos nas salas de aula esquecem-se de enfatizar um pequeno detalhe: João Goulart, o Jango, já havia tentado um golpe pedindo ao Congresso o Estado de Sítio em 1963. Paralelamente a isso, grupos de guerrilheiros recebiam treinamento militar em Cuba e na China, a mesma China de Mao, a China de 20 milhões de mortos.

quadro_moedas

“Nós somos socialistas, nós somos inimigos do sistema econômico capitalista atual de exploração dos economicamente fracos, com seus salários injustos, com sua ultrajante avaliação de um ser humano de acordo com sua riqueza e propriedade ao invés de responsabilidade e comportamento, e nós estamos determinados a destruir esse sistema, custe o que custar.”

Simpatizou com discurso? Votaria nesse candidato? Então anote bem o nome do sujeito:
Adolf Hitler.

Os defensores da esquerda prestidigitam reportagens, artigos em jornais e notas de rodapé, conduzem verdadeiros malabarismos para jogar no colo da direita a responsabilidade pela criação do Nazismo e do Fascismo que assolaram a Europa no século XX. É verdade sim que tanto Mussolini quanto Adolf Hitler apelaram aos banqueiros e industriais a fim de custearem seus projetos totalitários. Mas isso não os caracteriza como governos de Direita. Ora, se o governo petista de Dilma e Lula pode fazer parceria com a empresária Luiza Trajano, dona da Magazine Luiza, para venda de móveis e utensílios domésticos com crédito facilitado, isso também os caracteriza como um governo de Direita? Ocorre que a esquerda atual aprendeu com o que a esquerda do século passado comprovou na prática: Uma economia planificada, 100% estatal é impossível. Nazismo e Fascismo eram governos centralizadores que perceberam que não poderiam estatizar a economia, portanto, resolveram trazer para perto de si os empresários à época, exatamente como nosso Governo atual faz hoje..

Mas não se desespere, não ainda, afinal, temos uma oposição no país não é mesmo? Não, não temos.. Não é apenas o PT que parece se entreter com esse jogo perigoso entre Estado e empresas “parceiras”, se o Partido dos Trabalhadores tem indícios fascistas discretos, acobertados por toda a sua propaganda populista, a grande oposição do país, o PSDB prefere o fazer de forma mais descarada. Afinal o Partido Social Democrata Brasileiro também possui a palavra Social em seu nome, exatamente como o Partido Nazista de Hitler, ou partido Nacional-Socialista.

Agora sim, podemos começar a nos desesperar: não há oposição de fato no Brasil.

O próprio sociólogo Fernando Henrique Cardoso já se declarou em entrevista devoto fervoroso de Antonio Gramsci, intelectual comunista perseguido e preso na Itália de Mussolini.

Isso me faz pensar novamente na moeda.. Como os perseguidos se tornaram os perseguidores? Como as ideias de Gramsci e de outros pensadores da esquerda ajudaram e ajudam a montar o monstro do fascismo? Como e onde o pensamento de esquerda dobra a democracia em uma moeda de uma só face?

Continua…

Para saber mais:

O Nazismo foi mesmo de Direita?

O Cálculo Econômico Sobre o Socialismo

Anúncios